Mudanças para 2019 podem reduzir MCMV

O anúncio foi bastante celebrado pelo setor e aumentou as expectativas de retomada de confiança e de investimentos. Porém, em evento realizado no Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), em junho desse ano, o diretor nacional do Ministério da Habitação confirmou uma informação considerada negativa pelo mercado.

“Está previsto para o ano que vem, 2019, R$ 6 milhões para habitação, ou seja, repetir o mesmo orçamento que foi esse ano. Só que o diretor acha que o realizado vai ser menor com os cortes que devem ter. Estão prevendo que será realizado apenas R$ 3 milhões. Se forem R$ 3 milhões, eles darão prioridade para cobrir a parte do subsídio do programa Minha Casa Minha Vida, das faixas 1,5; 2 e 3, que custam R$ 3 milhões. Os outros R$ 3 milhões que seriam para pagar as obras do faixa 1, que estão sendo contratadas esse ano, não estarão garantidos”, explica Ronaldo Cury, vice-presidente de Habitação do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

O que ocorre, no entanto, é que a previsão orçamentária é diferente do que é realizada e, como evidenciado pelo diretor nacional da Habitação, pode haver esse corte em metade do orçamento previsto. O vice-presidente de Habitação do SindusCon-SP, após receber a informação, encarou como um alerta para as incorporadoras. “O que significa é que se você está pensando em contratar um imóvel na faixa 1, cuidado, que pode não ter dinheiro para subsidiar no próximo ano”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display

%d blogueiros gostam disto: